Idosos são alvo de consultas neuropsicológicas com equipa médica portuguesa

Até quinta-feira, cinco investigadoras portuguesas estão em Assomada para investigar os fatores de riscos para o Declínio Cognitivo, de que sobressai a doença de Alzheimer

 

Rastreio precoce dos sintomas iniciais de declínio cognitivo, investigação dos fatores de risco e de proteção para o declínio cognitivo e demência no curso do envelhecimento, são os objetivos primordiais das consultas realizadas aos idosos do município iniciadas esta terça-feira, 04, no Centro Cultural Norberto Tavares. As consultas prolongam-se até quinta-feira, 06.

 

Cinco investigadoras portuguesas estão em Assomada no âmbito do projeto MetALZ, que está integrado num projeto mais vasto denominado ESCUDO, sediado na Universidade de Coimbra com colaboração da Universidade de Aveiro e do Instituto Superior Técnico de Lisboa, tendo como objetivo primordial investigar os fatores de riscos para o Declínio Cognitivo, de que sobressai a doença de Alzheimer.

Segundo a representante da equipa de investigadoras, Sandra Freitas, o objetivo é o de efetuar consultas de avaliação neurológica e rastreio precoce de patologias direcionadas aos idosos.

Sandra Freitas, em declarações ao nosso portal, afirmou que faz parte desse projeto uma vasta equipa multidisciplinar, nomeadamente, das áreas da neuropsicologia e da geomedicina. “Pretendemos investigar se a exposição aos elementos potencialmente tóxicos, ou seja, aos metais que estão no meio ambiente, é ou não fator de risco para o desenvolvimento de doenças neuro degenerativas”, explicou a representante da equipa médica.

O projeto foi trazido para Cabo Verde “por ter uma comparabilidade com as provas cognitivas, por administrar as mesmas provas e por ter particularidades geográficas interessantes que fazem com que tenhamos elementos de comparação com os resultados portugueses”, sublinhou Sandra Freitas.

 


© Sítio da CM de Santa Catarina 2019