Terminal Rodoviário abriu ontem ao público

Entre a aprovação geral e algumas críticas, a infraestrutura começou a funcionar esta terça-feira. Os constrangimentos assinalados, naturais na abertura, irão ser resolvidos nos próximos dias – segundo garante o Vereador da Economia Local e Inovação, Péricles Brito

 

O Terminal Rodoviário de Assomada abriu esta terça-feira, 03, ao público, recebendo logo no primeiro dia a aprovação dos condutores que, no entanto, fizeram algumas críticas pontuais e apresentaram algumas ideias para melhorar o funcionamento da infraestrutura – a primeira do género em Cabo Verde.

Idílio, condutor de Ribeira da Barca, considera que “a mudança para o Terminal Rodoviário foi boa, porque é uma forma de organizar a cidade”, adiantando que “os passageiros não estão a reclamar”, no entanto, pensa que é necessário melhorar o sistema de comunicação entre a autarquia e os condutores. “Espero que transmitam mais informações e que nos avisem antecipadamente de quaisquer novas mudanças”, sublinhou Idílio.

Melhorar informação

Jota, um condutor que faz ligação Assomada-Praia-Assomada, referiu que “até agora, a organização parece estar bem”, mas alerta para a “dificuldade encontrada por muitos passageiros”, que “não estão a localizar as suas paragens”, pelo que apela a uma melhor informação no local.

A opinião de Jota é partilhada por outros condutores que fazem o mesmo percurso, considerando “razoáveis” as condições encontradas e que “tudo está a decorrer na tranquilidade”. No entanto, apelam à Câmara Municipal para colocar fiscais aos fins-de-semana de forma a “melhorar a organização” e “evitar conflitos” entre condutores.

Por último, os condutores que fazem o percurso entre Assomada e Praia sugerem que se construa uma “estrutura fixa” para facilitar o trabalho dos condutores e fiscais.

Já Samuel, um condutor de Chã de Tanque, contesta a localização da paragem, uma vez que não transportam apenas passageiros desta localidade. “Transportamos, também, passageiros de Achada Galego e são eles que dão maior lucro”. O condutor considera que, com a localização da paragem em Sucupira, “muitos passageiros daquela localidade que não tiverem compras, vão preferir ir a pé de que ir ao terminal apanhar o carro”. Uma circunstância que só se poderá confirmar (ou não) nos próximos dias.

Code, condutor da Calheta, considera que a organização “está melhor”, porquanto “já desembaraçou o tráfego de carro no centro da cidade”, mas alerta para o facto de “muitas pessoas” ainda não terem tido “informação sobre a nova paragem” e que alguns passageiros reclamam que a localização do terminal “é muito longe” e torna-se “complicado” para a deslocação de cargas.

Quanto aos passageiros, a avaliação é globalmente positiva, já que o fluxo está mais agilizado, embora alguns reclamem porque agora têm de se deslocar para um local fixo. No entanto, uma reclamação compreensível já que as pessoas estavam habituadas a apanhar transporte um pouco por toda a cidade e as mudanças geram sempre resistências.

Constrangimentos vão ser resolvidos

O Vereador da Economia Local e Inovação, Péricles Brito, cujo pelouro tutela o Terminal Rodoviário, considera “normal” que haja críticas, já que é o primeiro dia de funcionamento e identificaram-se “alguns constrangimentos” que, no entanto, garante irem ser “resolvidos” nos próximos dias. “Como é o primeiro dia, há pessoas que não são recetíveis a mudanças”, considera o vereador.

No local faltam ainda alguns equipamentos e mobiliário, uma situação que será também resolvida nos próximos dias, prevendo-se que, na próxima semana, toda a estrutura esteja já a funcionar em pleno.

Orçado em 15 mil contos (quinze milhões ECV), integralmente suportados pela Câmara Municipal, o Terminal Rodoviário de Assomada decorre da estratégia de urbanização do município, visando descongestionar o trânsito na cidade e ordená-lo numa lógica de organização urbana ao serviço dos cidadãos, tendo capacidade para 170 viaturas em sistema rotativo. Espaços verdes, um parque infantil, sala de passageiros, cantina e gabinetes da Fiscalização Municipal e da Polícia Nacional integram o espaço.

 


© Sítio da CM de Santa Catarina 2020